domingo, 4 de setembro de 2011

REVISÃO COCHRANE: profilaxia de endocardite "bacteriana" em Odontologia

A Endocardite é uma infecção que atinge parte da membrana que encobre o endocárdio, que é a camada mais interna do coração. Infecções de origem dentária estão entre as principais causas da endocardite infecciosa, devido a disseminação metastática para a corrente sanguínea de patógenos oriundos da boca que têm afinidade pelas estruturas do coração, se depositando lá e formando vegetações.

Como mais frequentemente ocorre por origem bacteriana, ficou como costume o uso do termo "endocardite bacteriana". Porém, como pode ser devida a outros microrganismos além de bactérias, o termo "bacteriana" é inadequado, devendo-se usar a nomenclatura mais correta e atual, que é "Endocardite infecciosa".


Ao atuar com pacientes considerados de risco para endocardite infecciosa, o cirurgião-dentista deve, conforme diretrizes da American Heart Association, fazer uso da profilaxia antibiótica previamente a realização do procedimento.

Isso ainda será melhor discutido aqui no blog.


Porém, há divergências sobre a real necessidade ou sobre a eficácia dessa profilaxia antibiótica prévia a procedimentos em boca. Como encontrei uma atualização de um artigo da Cochrane sobre o tema e divido aqui com vocês.



 Abaixo, segue a tradução do resumo do artigo. Veja AQUI na íntegra.

Oliver Richard, Roberts Graham J, Hooper Lee, Worthington Helen V. Antibiotics for the prophylaxis of bacterial endocarditis in dentistry. Cochrane Database of Systematic Reviews. In: The Cochrane Library, Issue 08, Art. No. CD003813. DOI: 10.1002/14651858.CD003813.pub2

Considerações iniciais: Endocardite infecciosa é uma infecção grave que surgem no revestimento do coração com uma alta taxa de mortalidade. Objetivo: determinar se a administração de antibióticos profiláticos em comparação com nenhuma administração ou placebo antes de procedimentos dentários invasivos em pessoas com risco aumentado de mortalidade por endocardite infecciosa influencia a mortalidade, a seriedade ou a incidência da doença. Critérios para considerar estudos para esta revisão: A estratégia de busca da revisão anterior foi ampliada e executado no MEDLINE (1950 a junho de 2008) e adaptada para uso em Saúde Cochrane Oral, bem como para as bases de dados: CENTRAL (The Cochrane Library 2008 , Edição 2); EMBASE (1980 a junho de 2008), e os meta-Registros de Ensaios Controlados (a junho de 2008). Critérios de selecção: Devido à baixa incidência de endocardite infecciosa foi antecipado que poucos ou nenhum ensaios seriam localizados. Por esta razão, estudos de coorte e caso-controle onde foram incluídos , quando acompanhados de controle ou grupos de comparação . A intervenção foi a administração de antibiótico em comparação com nenhuma administração, antes de um procedimento odontológico em pessoas com um risco aumentado de endocardite. Estudos de coorte teriam de seguir aqueles em maior risco e avaliar os resultados após qualquer procedimento invasivo dental, agrupando se a profilaxia foi recebida. Estudos caso-controle inclusos precisariam parear as pessoas que tinham desenvolvido endocardite (com comprovação de risco aumentado para endocardite e que foram submetidas a um procedimento invasivo dental antes do início da endocardite) com aqueles em situação de risco semelhante, mas que não desenvolveram endocardite. Desfechos de interesse foram: mortalidade ou eventos adversos graves, que requerem internação hospitalar, o desenvolvimento de endocardite após qualquer procedimento odontológico em um período de tempo definido, o desenvolvimento de endocardite devido a outras causas não-odontológicas; quaisquer eventos adversos registrados aos antibióticos, e implicações de custo do fornecimento de antibióticos para o tratamento daqueles pacientes que desenvolvem a endocardite. Coleta de dados e análise: Dois autores revisores selecionaram independentemente os estudos para inclusão e, em seguida, avaliaram a qualidade e extraíram os dados dos estudos incluídos. Principais resultados: Nenhum ensaio clínico randomizado controlado (RCTs), ensaio clínico controlado (CCTs) ou estudo de coorte foi incluído. Um estudo caso-controle preencheu os critérios de inclusão. Ele reuniu todos os casos de endocardite na Holanda durante dois anos, encontrando um total de 24 pessoas que desenvolveram endocardite no prazo de 180 dias após um procedimento odontológico invasivo , com indicação para profilaxia antibiótica de acordo com as diretrizes atuais, com risco aumentado de endocardite devido a um problema cardíaco preexistente. Este estudo incluiu participantes que morreram devido à endocardite. Controles compareceram a ambulatórios de cardiologia locais e foram submetidos a procedimentos invasivos odontológicos nos 180 dias prévios, sendo pareados por idade com os casos. Nenhum efeito significativo da penicilina sobre a incidência de endocardite foi visto. Não foram encontrados dados sobre outros desfechos. Conclusões dos autores: Não evidências sobre a eficácia ou inaficácia da penicilina contra a endocardite bacteriana previamente a procedimento odontológico invasivo dental em pessoas em risco. Existe uma carência de evidência para apoiar as diretrizes previamente publicados nesta área. Não está claro se os danos e custos potenciais da administração de antibióticos superam qualquer efeito benéfico. Sob o ponto de vista ético, profissionais devem discutir os potenciais benefícios e riscos de profilaxia antibiótica com seus pacientes antes da decisão de prescrevê-la .

Nenhum comentário:

Postar um comentário